Uma reflexão sobre o corpo e a vida

Por Adriana Pierre Coca | 02 FEV 2015

Imagens de corpos em seus momentos “aparentemente insignificantes” do dia-a-dia trazem consigo os mistérios intrínsecos à vida e, por isso, nos emocionam tanto.

Quando nos deparamos com o olhar do artista e somos impelidos a contemplar esses corpos, nos damos conta que as expressões corporais carregam memórias de toda a nossa existência, que nossos gestos denunciam o que sentimos e que o corpo é uma fonte inesgotável de revelações sobre nós mesmos. Pelo menos é o que parece nos dizer as obras de Mueck.

Estão em cartaz na Pinacoteca do Estado de São Paulo nove obras do escultor australiano, que vive em Londres, Ron Mueck. As obras do artista são chamadas de hiper-realistas, por causa da transparência com que retrata os corpos humanos. Mas, por incrível que pareça, a principal inspiração dele é lúdica, uma herança de família, seus pais eram fabricantes de brinquedos, bonecas de pano e marionetes.

Reprodução de matéria publicada no site Corporalidades, disponível em: https://corporalidades.wordpress.com/2015/02/03/uma-reflexao-sobre-o-corpo-e-a-vida/>. Acesso em: 24 abr. 2017, 17:50.

As esculturas também impressionam por suas dimensões, mas, sobretudo, porque retratam cenas corriqueiras do cotidiano em qualquer parte do planeta, com rigor nos detalhes, que vão das expressões faciais às dobras do corpo. São imagens carregadas de afetividade, que denunciam um olhar triste ou um gesto de carinho delicadamente talhados em fibra de vidro, silicone, resina e acrílico.

Imagens de divulgação da Exposição

A figura humana sempre foi tema das artes visuais, sempre esteve presente nas esculturas de épocas distintas da história da arte. A renovação na maneira de representar o corpo, talvez seja esculpi-lo com técnicas inovadoras, conferindo originalidade à escultura contemporânea, sem se distanciar do realismo preciso que também fez parte da busca incessante de outros mestres escultores que se utilizavam de técnicas tradicionais: Degas tirou leveza do bronze com sua série de bailarinas e Rodin, beijos suaves de blocos de mármore.

SOBRE A PESQUISA

O site telerrecriação trata da pesquisa da Profa. Dra. Adriana Pierre Coca que investiga os aspectos teóricos e metodológicos das rupturas e reconfigurações de sentidos na teledramaturgia brasileira.

Contato

Adriana Pierre Coca
E-mail: pierrecoca@hotmail.com